Pular para o conteúdo principal

O DISCURSO DE LULA APÓS CONDENAÇÃO, O DE JANGO ANTES DO GOLPE DE 1964 E O "FUNK"


Lula e João Goulart estão unidos por um discurso que, sabemos, vale menos pelas esperanças que eles tentaram inspirar no povo brasileiro e mais pelos oportunistas que pegaram carona nele.

Um discurso de coragem e otimismo, que acabou sendo em vão pelas forças reacionárias ou falsamente solidárias que derrotaram Jango e querem derrotar Lula.

E as forças falsamente solidárias, movimentos exóticos motivados pelo discurso coitadista, deveriam inspirar cautela e não admiração.

A chibata produziu o discurso dos marinheiros comandados por Cabo Anselmo.

A repressão policial produziu o discurso dos funqueiros de hoje.

Sou contra a criminalização do "funk", não pelas mesmas razões de seus defensores.

Até porque é a criminalização que acabou impulsionando esse discurso pseudo-ativista e pseudo-cultural.

Por que o "funk" não pode ser considerado cultura? Porque em vez de interferir na realidade, como toda cultura faz, o "funk" sempre se subordina a ser um reflexo da mesma.

O "funk" surgiu abolindo os instrumentos musicais, como uma espécie de "plano Temer" da música brasileira.

Sabe-se que o funk autêntico tinha bons cantores, bons músicos e dava ênfase nos arranjos.

James Brown tinha uma orquestra por trás, o JB's, de atuação impecável à altura do exigente cantor e músico.

Mas o "funk carioca", no fundo um processo arrivista de mercantilização musical comandada por empresários-DJs, reduziu tudo a um mero karaokê mesclado com a fetichização de seus intérpretes.

Sabe-se que o "funk" é o Cabo Anselmo da vez e, desta vez, o golpismo político está unido a dois eventos diferentes em princípio, mas similares em muitos aspectos.

Em 30 de março de 1964, João Goulart, em plena crise política e já com a "cabeça a prêmio" pelo discurso na Central do Brasil, 17 dias antes, foi discursar na sede do Automóvel Clube, no Rio de Janeiro, então capital da Guanabara.

No último 13 de julho de 1964, foi o ex-presidente Lula, discursando na sede do Partido dos Trabalhadores em São Paulo, após ser condenado pelo juiz Sérgio Moro por suposto esquema de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Entre os convidados estava Bruno Ramos, presidente da Liga do Funk, uma entidade que se diz "de esquerda" visando os recursos públicos do Ministério da Cultura petista, via Lei Rouanet, geralmente mais generosos para os funqueiros.

No caso de Jango, seu discurso era acompanhado por pessoas como o sargento José Anselmo dos Santos, o Cabo Anselmo.

Era um discurso em solidariedade aos marinheiros comandados por Cabo Anselmo, articulados na Associação dos Marinheiros e Fuzileiros Navais do Brasil.

Esses militares, evidentemente não a totalidade dos militares de baixa patente, eram o equivalente, na época, aos funqueiros de hoje, no que se diz à retórica.

"MAS EU SÓ QUERO É SER FELIZ, FELIZ, FELIZ...", VERSÃO 1964.

É um discurso engenhoso, que combina vitimismo e triunfalismo, de supostos manifestantes que desviam o foco dos debates esquerdistas.

Assim como os funqueiros, os fuzileiros revoltosos tinham um discurso bastante verossímil, convincente para muitos, sobre os "movimentos das classes excluídas".

Soam muito estranhos esses fenômenos, porque eles, a despeito de se proclamarem "solidários" com os movimentos sociais, bagunçam com os debates sociais com seu perfil exótico.

O "funk" tenta se dizer "esquerdista" e "revolucionário", mas seu discurso tem um quê de hipocrisia e oportunismo.

O ritmo nunca passou de um pop comercial, influenciado claramente pelo miami bass dos EUA, e marcado por uma degradação da linguagem musical ditada pelos poderosos e ricos DJs.

O "funk" cresceu nos anos 90 patrocinado pelas Organizações Globo e pelos ventos políticos da Era Collor.

O "funk" também é financiado por órgãos "humanitários" ligados à CIA, como Fundação Ford e Soros Open Society.

É até constrangedor que o discurso da Liga do Funk apele para uma tendenciosa "aversão à mídia":

"Os golpistas estão a serviço de interesses do grande capital internacional, de olho no pré-sal e em todas as riquezas do solo e do subsolo do país, comandados pela embiaxada dos Estados Unidos e pela família Marinho, dona da rede Golpe de televisão (ex-Globo)", diz um dos textos.

Se os próprios funqueiros vão, felizes da vida, ao Caldeirão do Huck e são capazes de abraçar, com muito gosto, pessoas como o casseta Marcelo Madureira, que moral tem o "funk" de falar mal da mesma Globo que lhe dá visibilidade e prestígio?

Se não fosse a Globo Filmes, não teríamos APAFUNK, Liga do Funk, Eu Amo Baile Funk etc.

Fora da Globo, os funqueiros são capazes de irem, felizes da vida, a programas como The Noite, com o reaça Danilo Gentili.

Poucos se esquecem do quanto a famiglia Marinho enfiou o "funk" goela abaixo para o grande público em tudo quanto é veículo e atração das Organizações Globo.

O "funk" explora uma imagem caricatural das classes populares, mas como vivemos numa sociedade hipermidiatizada, ela é tida como a "mais crua realidade das periferias".

A caricatura chega a ser pior do que a caricatura do povo pobre que havia nas velhas chanchadas da Atlântida. Há intérpretes de "funk" que parecem estereótipos saídos de A Praça É Nossa.

Paciência. A classe média, mesmo a dita esclarecida, não conhece bem as periferias, só conhece pelas abordagens de documentários de televisão.

Poucos conseguem ver o que realmente é periferia.

O mais gozado é que os maiores defensores do "funk" nas redes sociais são anti-petistas, "coxinhas" e até mesmo fãs de Aécio Neves.

No dia seguinte ao do discurso de João Goulart frente ao Cabo Anselmo e seus pares, iniciou-se um levante militar que se completou no começo de abril.

Foi o golpe militar de 1964, creditado oficialmente ao dia 31 de março para evitar trocadilhos com o Dia da Mentira, celebrado em primeiro de abril.

Lula discursou num momento em que os procuradores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região estão analisando a condenação feita por Sérgio Moro para dar um parecer em segunda instância.

Será um outro golpe político, desta vez investindo não num governo ceifado, mas numa candidatura que as elites querem que seja natimorta.

O "funk" foi "fazer solidariedade" a Lula, tal como Cabo Anselmo a Jango, talvez como uma possível vigilância.

O "funk" quer ser "movimento social" para que outros não sejam, ou para que outros só possam ser desde que subordinados à supremacia do "funk".

Os movimentos sociais acabam sendo reféns do "funk", último fenômeno brega-popularesco a tentar cooptar as esquerdas.

Essa "solidariedade" dos funqueiros é uma coisa estranha, de um ritmo que só teve sua razão de ser com o apoio das mesmas Organizações Globo da qual, tendenciosamente, falam mal.

Parece muito mais uma infiltração, dessas feitas para desviar o foco.

Afinal, os funqueiros usam seu discurso para desviar o debate da reforma trabalhista.

Os funqueiros se dizem solidários com o esquerdismo, mas na hora H apunhalam as esquerdas pelas costas e vão comemorar suas vitórias nos palcos da Rede Globo.

Infelizmente as esquerdas gostam de morder certas iscas. O "funk" vai acabar tirando Lula da corrida presidencial de 2018.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESTUPRO COLETIVO DERRUBA MITO DA "LIBERDADE DO CORPO"

O vergonhoso caso do estupro coletivo desmascarou uma situação que a intelectualidade "bacana" sempre abafou com falso relativismo.

O mito da "liberdade do corpo" num país do combate ao assédio abusivo.

O terrível caso ocorreu num bairro popular, na região de Jacarepaguá.

33 homens afoitos cercando uma moça de 16 anos, dopando a menina, depois a estuprando sob o registro da câmera do celular e depois publicando na Internet.

Um episódio de pura truculência, mas condicionado pela ilusão de liberdade sexual que a intelectualidade "bacana", que apostava num Brasil brega, queria para as classes pobres.

Mesmo mulheres aparentemente ativistas, dentro dessa intelectualidade, davam dois pesos e duas medidas.

Elas reclamavam contra a imagem caricatural que as mulheres, de classe média, recebiam dos comerciais de TV.

Mas consentiam que a mesma imagem fosse impunemente abordada sob o rótulo do "popular".

Reclamavam quando a imagem da mulher de classe média…

O TRAIDOR POSANDO DE VÍTIMA E AS APOSTAS "LIBERAIS" PARA A REPÚBLICA

DOIS TRAIDORES DA PÁTRIA, JOAQUIM SILVÉRIO DOS REIS E MICHEL TEMER.

Numa semana em que teve até lançamento de "moda nazista", da grife catarinense Lança Perfume, o temeroso presidente Michel Temer cometeu mais uma gafe.

Antes de irmos ao assunto, o caso da grife catarinense foi o lançamento de uma coleção de moda de inverno com a temática voltada à Alemanha, a "Berlin LAB Collection".

É uma coleção supostamente inspirada na diversidade e que se proclama ter a "liberdade no DNA".

Mas alguns trajes de inverno lembravam muito bem os uniformes dos soldados da SS, a polícia nazista, e até vários símbolos usados pelo nazismo, nos anos 1940.

A empresa La Moda, dona da marca Lança Perfume, retirou as fotos de divulgação, cancelou a venda dos produtos e, aparentemente, pediu desculpas, argumentando que os símbolos usados existiam antes da ascensão de Adolf Hitler ao poder.

Dito isso, voltemos então a Temer.

Ele criou um discurso no qual consegue fundir arrogância …

GOVERNO TEMER E A REVOLTA DOS UMBIGOS

A "revolta dos umbigos" que surgiu nas mídias sociais achou que tinha o poder pleno nas mãos.

Lutaram para ter Michel Temer no lugar de Dilma Rousseff para realizar uma agenda mais conservadora para o Brasil.

Essa agenda é um misto do programa eleitoral derrotado de Aécio Neves em 2014 com as "pautas-bombas" do então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Primeiro, os "revoltados" na Internet se escondiam nas mídias sociais, se limitavam a trolar assuntos culturais ou coisa próxima e fingiam serem progressistas.

Depois, deixaram a máscara cair e iniciaram uma campanha para derrubar Dilma Rousseff.

Conseguiram o que fizeram, pois faziam parte de uma "frente ampla" às avessas, que clamavam por retrocessos políticos sob a desculpa do "combate à corrupção".

Estavam junto dos empresários em geral e, em parte, os que controlam a grande mídia.

Foram animadores juvenis de uma campanha que ludibriou a sociedade inteira, que passou …

ESCÂNDALO: SKY CONVOCA FUNCIONÁRIOS PARA ATO ANTI-LULA NA PRÓXIMA QUARTA-FEIRA

Um comunicado interno da empresa de TV por assinatura Sky está dando o que falar.

Tendo sido vazado na Internet, através da página dos Jornalistas Livres, o comunicado, que oficialmente é proibido de ser divulgado fora da empresa, convoca seus funcionários para ato pedindo a prisão de Lula na próxima quarta-feira.

Nesse dia, 04 de abril, será julgado o pedido de habeas corpus ao ex-presidente, pelo Supremo Tribunal Federal.

As manifestações anti-Lula estão previstas para a véspera, em várias cidades, inclusive São Paulo, com horários de início variando entre 17 horas e 18h30.

A Sky convoca os funcionários a participar do ato promovido pelo movimento Vem Pra Rua, divulgado no Facebook.

A empresa libera os funcionários do trabalho, desde que participem do ato anti-Lula.

MENSAGEM DO VEM PRA RUA PARA A MANIFESTAÇÃO ANTI-LULA.

O comunicado tem como referência a manifestação da página do Vem Pra Rua no Facebook: "Ou você vai, ou ele volta", se referindo ao ex-presidente.

A Sky é u…

TV LINHAÇA - A CRISE EXTREMA DO GOVERNO TEMER

A prisão de aliados de Michel Temer esta semana, ainda que tenha sido revertida há pouco, faz agravar a crise do governo marcado pela baixíssima popularidade.

LULA ESTÁ PRESO, MAS ALIADO DE TEMER GANHA MINISTÉRIO E FILHO DE AMIGO DE AÉCIO, CARGO DA CBF

Enquanto o ex-presidente Lula está preso em Curitiba, aliados da plutocracia seguem livres, leves e soltos.

Na semana passada, já havia sido anunciada a nomeação do ex-deputado federal mineiro, Gustavo Perrella, como diretor de Departamentos e Projetos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Os anti-petistas são muito suspeitos para saber dos uniformes da CBF, pois eles tomaram emprestado essas roupas esportivas para outro contexto, obviamente conhecido.

A nomeação de Perrella, ex-ministro dos Esportes do governo Michel Temer - da qual teve uma gestão bastante inexpressiva - , foi dada em janeiro, mas só foi revelada recentemente, há três dias, pelo repórter Sérgio Rangel da Folha de São Paulo.

Gustavo Perrella é também conselheiro vitalício do Cruzeiro, famoso clube de futebol mineiro.

O rapaz é filho do senador Zezé Perrella, amigo de Aécio Neves.

Zezé é conhecido, juntamente com o próprio Gustavo, pelas ligações com um helicóptero que foi flagrado pela polícia transportando 4…

O PARCIALISMO DE SÉRGIO MORO É ALGO PARA PENSAR

SÉRGIO MORO NOS TEMPOS DE FACULDADE. 

O juiz paranaense Sérgio Moro havia dito que "não recebeu" denúncias do envolvimento de políticos do PSDB porque "o partido era oposição" e "não fazia sentido" investigá-lo.

A direita tenta provar que o juiz, que aniversaria hoje, é imparcial, mas observa-se um tratamento desigual quando políticos do PT e do PSDB são investigados.

Se houvesse imparcialidade, até Aécio Neves teria sido chamado, pelo menos, para prestar depoimento. Nem isso ele fez.

E quatro delatores já citaram o senador mineiro como envolvido no esquema de corrupção da Petrobras.

O próprio diálogo de Romero Jucá com Sérgio Machado, senador do PSDB que presidiu a Transpetro (subsidiária da Petrobras), já comentava que "todo mundo sabia do esquema do Aécio".

Nem para investigar que esquema é esse foi sequer tentado.

Por outro lado, o ex-presidente Lula, sem direito digno à defesa (previsto por lei), teve que recorrer ao tribunal internacional …

A GAFE MUNDIAL DE GUILHERME FIÚZA

Há praticamente dez anos morreu Bussunda, um dos mais talentosos humoristas do país.

Mas seu biógrafo, Guilherme Fiúza, passou a atrair as gargalhadas que antes eram dadas ao falecido membro do Casseta & Planeta.

Fiúza é membro-fundador do Instituto Millenium, junto com Pedro Bial, Rodrigo Constantino, Gustavo Franco e companhia.

Gustavo Franco, com sua pinta de falso nerd (a turma do "cervejão-ão-ão" iria adorar), é uma espécie de "padrinho" de Guilherme Fiúza.

O valente Fiúza foi namorado da socialite Narcisa Tamborindeguy, que foi mulher de um empresário do grupo Gerdau, Caco Gerdau Johannpeter.

Não por acaso, o grupo Gerdau patrocina o Instituto Millenium.

Guilherme Fiúza escreveu um texto na sua coluna da revista Época em que lançou uma tese debiloide.

A de que o New York Times é um jornal patrocinado pelo PT.

Nossa, que imaginação possuem os reaças da nossa mídia, que põem seus cérebros a serviço de seus umbigos!

Imagine, um jornal bastante conhecido nos…

LULA SE DIRIGE PARA A PRISÃO EM CURITIBA

O ex-presidente Lula está a caminho da prisão na sede da Polícia Federal em Curitiba.

Ele foi convocado a se apresentar ontem, até às 17 horas, mas resistiu por pouco mais de um dia.

Ficando de quinta a sábado últimos na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde começou sua vida política, Lula mostrou ao mundo que é um ídolo popular.

Às 16h30 de hoje, foi anunciado que Lula iria se entregar à Polícia Federal.

Houve vinte minutos de demora, porque Lula foi abraçar e posar para fotos ao lado de amigos e admiradores. Afinal, isso pode ser uma despedida.

Não se sabe o que poderão fazer com o ex-presidente, vide os casos de João Goulart e Juscelino Kubitschek, ambos há cerca de 42 anos.

Depois Lula entrou no carro, ao lado de seu principal advogado de defesa, Cristiano Zanin Martins, mas manifestantes solidários ao petista esboçavam a última resistência, bloqueando a saída.

Vários manifestantes, desesperadamente, pediam para Lula não se entregar.

Lula decid…

O "DIA SEGUINTE" ELEITORAL À PRISÃO DE LULA

Setores das esquerdas afirmam que a influência de Lula continua intata nas eleições a serem feitas daqui a alguns meses.

Pode ser. Mas a pressão da sociedade conservadora quer que o candidato dela é que saia vitorioso de qualquer maneira. Nem que os algoritmos sejam inseridos em possível fraude eletrônica nas urnas.

Aparentemente, a sociedade mais reacionária só se acalma quando algum espectro do Partido dos Trabalhadores ou coisa semelhante se apaga por definitivo.

Aí as pessoas ficam tão despreocupadas que não ligam sequer para quando um restaurante solta um cheiro de vazamento de gás.

É preocupante. Pessoas conversando felizes diante de um cheiro de vazamento de gás. Ou jovens contando piadas, alegremente, diante de um cocô de cachorro deixado ali próximo, no calçadão.

São essas mesmas pessoas que, só de ver a imagem de Lula em algum lugar, espumam de raiva e rancor profundos.

O Brasil anda tão surreal que são os mais jovens que parecem gostar de ideias e projetos mais reacionário…