Pular para o conteúdo principal

Postagens

ÁRVORES EM NITERÓI ESTÃO CONTAMINADAS COM ERVA DE PASSARINHO

Postagens recentes

REVISTA ÉPOCA E O JORNALISMO DESINFORMATIVO

Os anti-petistas mais histéricos tentam agora fazer drama e encenar seu teatro de valentia para conseguir o que querem: tirar Lula da corrida presidencial de 2018.

Esta semana, Alexandre Frota, que um dia foi uma celebridade medíocre, porém "razoável", até se tornar um empresário de siliconadas do "funk" e paranoico militante de direita, fez mais uma gafe.

Foi com seus colegas "coxinhas" para a residência do ex-presidente da República em São Bernardo do Campo para protestar, com o boneco inflável Pixuleco (caricatura de Lula com roupa de presidiário), no último dia 19.

Foram expulsos por manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, mas inventaram que "já tinham ido embora" quando os membros do MTST chegaram.

O Movimento Brasil Livre (aka Movimento Me Livre do Brasil) também criou o CarnaLula, uma série de protestos "animados" pedindo a prisão do petista.

O Partido dos Trabalhadores inverteu a ironia, e, em Recife, criou o Bl…

'CEO DE ENGENHO' LANÇA PLATAFORMA ABERTAMENTE ULTRACONSERVADORA

FLÁVIO ROCHA LANÇOU O MOVIMENTO "BRASIL 200 ANOS". OU SEJA, BRASIL, 200 ANOS A MENOS, RETROCEDENDO, PELO MENOS, DOIS SÉCULOS EM RELAÇÃO A HOJE.

O brasileiro médio, sobretudo o pessoal bitolado da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, quando entra numa filial da rede de lojas Riachuelo, tem falsa impressão de modernidade.

Vê as propagandas da rede, na qual o atual logotipo omite algumas consoantes, tornando-se RCHLO, e acha tudo à frente do tempo.

Vai feliz, de maneira bovina, para as lojas achando que está aderindo à última palavra da modernidade fashion existente no Brasil.

Compra algumas camisetas com expressões em inglês e pensa estar sintonizado com os novaiorquinos de hoje.

Grande engano. Por trás dessa "MC Donald's" da indústria têxtil, há um cenário sombrio de profundo atraso.

Trabalhadores terceirizados com rotina profissional análoga ao trabalho escravo.

E um empresário que parece moderno, mas é de um conservadorismo doentio.

Chama-se Flávio Rocha, u…

COMEÇAM OS PREPARATIVOS PARA O JULGAMENTO DE LULA PELO TRF-4

Começam os preparativos para o acontecimento do ano. Quer dizer, um arremedo de acontecimento.

Desde que o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi alvo de acusações sem provas, condenado por boatos e hostilizado sem motivo, não era para haver esse julgamento.

Afinal, o motivo do julgamento era risível: a insistência do juiz midiático e parcial Sérgio Moro em dizer que Lula era o proprietário de um triplex no Guarujá, no litoral paulista.

O edifício tem o nome de Solaris e o triplex é um apartamento de classe média. Mas os anti-petistas insistem em tratar a propriedade como se fosse uma residência nababesca.

Mas, além de ser uma residência modesta, Lula não era o dono dela.

A prova de que o apartamento não é de Lula foi dada pela juíza Luciana Corrêa Tôrres de Oliveira, da 2ª Vara de Execução e Títulos no Distrito Federal.

Ela mandou penhorar o imóvel para pagar as dívidas da OAS. Portanto, é a empreiteira que responde como dona do imóvel.

Diante dessa anulação de um suposto crime…

ULTRACOMERCIALISMO E O 'WISHFUL THINKING' DOS INTELECTUAIS AO "FUNK"

SÓ NA MENTE ETNOCÊNTRICA DA INTELECTUALIDADE "BACANA" É QUE O "FUNK" SE EQUIPARA AO MODERNISMO DA GERAÇÃO DE 1922.

Isso é que dá o "bom etnocentrismo" da intelectualidade "bacana".

A intelligentzia insistiu tanto com essa falácia do "combate ao preconceito", abrindo caminho para o crescimento do "popular demais", que a música brasileira hoje vive a fase do ultracomercialismo.

O preconceito continua existindo e até cresceu, mas mudou de alvo: agora é a MPB autêntica, a música de qualidade, que é alvo de violenta discriminação dos jovens que deveriam zelar por ela.

Antes a MPB autêntica, de nomes como Edu Lobo, por exemplo, empolgava até os secundaristas, como eram chamados os hoje alunos do ensino médio.

Hoje Edu Lobo é esnobado até por alunos de Doutorado, mais afeitos a analisar o "popular demais" com devaneios pretensamente etnográficos ou libertários.

O "funk" foi beneficiado durante anos por essa chora…

MEU NOVO LIVRO É RELANÇADO COM TEXTO AMPLIADO SOBRE DOLORES O'RIORDAN

Lançado no ano passado, meu livro DESCASCANDO MIOLOS - ROCK, CULTURA ALTERNATIVA E ALGO MAIS, foi relançado e passa a ter como crédito de data o corrente ano de 2018.

Isso porque eu adaptei o texto que escrevi sobre o lamentável falecimento da cantora Dolores O'Riordan, com muito mais informações.

Mas o livro contém muitos textos exclusivos e raros, com 21 anos de textos sobre rock alternativo e outros temas de interesse.

É uma obra que merece ser lida por quem não se contenta com a mesmice do mainstream e do que a grande mídia empurra para os jovens consumirem.

Peço que leiam e adquiram esse texto, de preferência na versão impressa, até para botar um item exclusivo na biblioteca.

Mas, em todo caso, quem quiser adquirir o e-Book, que fique à vontade.

Peço aos leitores que guardem esse endereço clicando neste linque, para escolher entre a versão impressa e a digital para leitura.

Não deixem de ler o livro. Ajudem a prestigiar o meu trabalho.

Fico agradecido e desejo a todos boa le…

JOJO TODDYNHO E O "FUNK" EM CLIMA DE DESEMBARQUE

A FUNQUEIRA JOJO TODDYNHO, INTÉRPRETE DO POLÊMICO SUCESSO "QUE TIRO FOI ESSE".

O ultracomercialismo musical dominou o Brasil.

Num contexto em que o MPB-4 perdeu um integrante, Ruy Faria, falecido há poucos dias, e Caetano Veloso tem equipamentos e seu violão roubados durante uma turnê, a situação está feia.

Ainda mais quando Alice Caymmi, de conhecida família musical, abandonou a MPB, a cantora Tiê decidiu fazer parceria com Luan Santana e Ed Motta elogiou Pablo Vittar.

A situação da MPB afundou de tal forma que vemos o estrago que foi feito toda aquela falácia de "combate ao preconceito" da intelectualidade "bacana" e seus consortes.

Os intelectuais "bacanas" empurraram a bregalização para a pauta das esquerdas, para abrir caminho para sociopatas como Rodrigo Constantino e Marco Antônio Villa falarem em "cultura popular de verdade", eles que nem estão aí para o povo pobre.

Os intelectuais "bacanas" fizeram esse jogo sujo na …